Nossa História

A Cooperação Missionária Ibero-americana surgiu do primeiro Congresso Missionário Ibero-americano, realizado em São Paulo, Brasil, em 1987.

A Confraternidade Evangélica Latino-americana (CONELA) havia convocado uma reunião de líderes em 1984, no México, para discutir a organização de um congresso internacional com o propósito de promover o desenvolvimento da visão missionária na região. Assim se realizou o COMIBAM 87, onde mais de três mil representantes de todas as nações da América Latina, Espanha e Portugal, além de observadores de outros países, se reuniram para escutar sobre a tarefa missionária global e comprometer-se com a formação de um movimento missionário a partir da Ibero América. Foi naquela ocasião que Luis Bush enfaticamente proclamou: “Em 1918, a América Latina foi declarada um campo de missão. Hoje, em 1987, a América Latina se declara uma força missionária”.

A partir desse Primeiro Congresso Missionário Ibero-americano, a COMIBAM Internacional desenvolveu suas relações em âmbito mundial, com outras redes regionais, nacionais e globais, ajudando a estabelecer grupos de trabalho, convocando consultas, produzindo livros em espanhol e português, e iniciando a publicação da revista Eles e Nós. Na edição de 1988 do livro Operação Mundo, Patrick Johnstone reportou um total de 1.314 missionários originários da América Latina. Na edição de 1995, reportou mais de 4.482. Destes últimos, 1.364 estavam atuando fora de seu país e 2.126 estavam envolvidos na obra transcultural.

Houve um mover de Deus na igreja de toda a região, fortalecendo movimentos missionários nacionais onde já existiam e fazendo nascer onde ainda não se haviam formado. Alguns países já haviam enviado missionários desde o princípio do século XX e também haviam estabelecido redes nacionais de colaboração missionária, mas a partir do COMIBAM 87 houve um forte despertar para impulsionar a obra missionária transcultural.

Para entender sistematicamente este processo, devemos recordar algumas datas-chave do desenvolvimento da COMIBAM e de suas contribuições concretas ao movimento missionário:

1987 – Primeiro Congresso Ibero-americano, em São Paulo, Brasil. Fortalecem-se os esforços de mobilização através de toda a Ibero-américa e surgem sérios compromissos com a obra missionária global;
1991-1992 – São promovidas consultas na área de missões transculturais. Surgem mais centros de treinamento missionário e os já estabelecidos crescem e se fortalecem;
1992 – A estratégia de Adote um Povo (AUP) é divulgada e se estimula que se chegue aos “não alcançados”. Os resultados incluem o estabelecimento de um programa regional de oração, a elaboração de manuais e de materiais sobre AUP e o incremento no número de missionários enviados ao campo;
1994 – Igrejas e agências missionárias se reúnem em uma consulta e exploram as áreas de convergência e não de competição. Define-se um modelo de trabalho que envolva as igrejas, os centros de capacitação e as agências missionárias;
1997 – Realiza-se em Acapulco, México, o Segundo Congresso Missionário Ibero-americano, o COMIBAM 97. Foi uma oportunidade para avaliar e projetar o que é missão, do que ela necessita e quais são os elementos para levá-la a cabo. Como movimento missionário ibero-americano, faz-se uma análise das novas tendências na obra missionária global;
2000 – Realiza-se a Primeira Assembleia Geral da COMIBAM, reunindo mais de 100 líderes da Ibero-América com o fim de estruturar e consolidar o trabalho, formulando uma organização básica e conferindo ênfase nas três redes principais do processo missionário;
2003 – Desenvolve-se em Guadarrama, Espanha, a Primeira Cúpula de Liderança da COMIBAM Internacional, cuja ênfase foi o desenvolvimento de propostas e de estratégias para fortalecer o movimento.
2006 – Em Granada, Espanha, é levado a cabo o Terceiro Congresso Missionário Ibero-americano sob o lema: “Resultados e desafios entre os não alcançados”. A meta foi avaliar o movimento missionário a partir da perspectiva do campo. Reúnem-se mais de 1.800 líderes do movimento e 300 obreiros latino-americanos ativos no campo.

Podemos dizer que a COMIBAM Internacional passou por três etapas em seu desenvolvimento:

A primeira compreendeu os anos de 1987 a 1995. Rudy Girón, depois do Primeiro Congresso Missionário Ibero-americano, desenvolveu a primeira etapa, que se pode denominar Etapa de Iniciação e Expansão. Nela se trabalhou a estruturação formal da visão missionária na Ibero América. Desenvolvem-se os primeiros processos formais, intencionais e organizados de conscientização e mobilização. Por outro lado, esta foi a era dos “Quixotes” e do levantamento de novos líderes em missões, cuja única ferramenta era a paixão pelos não alcançados. Foi nesta época que a história das missões modernas na Ibero América reconhece o início da cooperação missionária ibero-americana.

A segunda etapa compreendeu os anos de 1995 a 2000. David Ruiz tomou o legado do Segundo Congresso Missionário Ibero-americano e iniciou um período que se pode chamar Etapa de Estabilização e Consolidação. A organização e o planejamento definidos ganharam uma alta relevância, tendo como resultado a proposta de modelos de trabalho em redes e a regionalização.

A terceira etapa foi dos anos 2001 a 2008. Jesús Londoño e uma equipe de trabalho deram início a um período de fortalecimento e renovação.

No ano de 2008, em reuniões da Junta Diretiva com o Comitê Executivo, é elaborada uma proposta de mudança, que marca o início de um processo que levaria a repensar a visão, a estratégia e a estrutura da COMIBAM Internacional. Depois de uma cuidadosa análise da organização, elabora-se a proposta: “Uma nova COMIBAM para uma nova era missionária”. Nela se redefinem as declarações de Visão e Missão da COMIBAM e se propõe uma nova e mais leve estrutura organizacional, que facilitaria, em grande medida, o cumprimento da tarefa.

Na IV Assembleia Geral da COMIBAM, realizada em outubro de 2009 em Bogotá, Colômbia, a proposta é oficialmente aprovada.

Ao longo desses anos, a COMIBAM Internacional tem sido um espaço para o encontro dos movimentos missionários nacionais da região, para a formulação de estratégias e para a relação e colaboração com a comunidade missionária global.

Temos nos dedicado a apoiar e a servir a comunidade missionária ibero-americana. Buscamos estar atentos às mudanças e às novas oportunidades no contexto missionário global, servindo como ponte entre as entidades de nossa região e as de outras regiões do mundo.

Hoje, devemos dizer que, pela graça soberana de Deus, COMIBAM Internacional tem cumprido sua missão e segue dedicada à sua visão, missão e valores.

Carrinho de compras